Um DC-10 cargueiro da companhia aérea venezuelana Solar Cargo fez um pouso com velocidade acima da recomendada, no Aeroporto de Brasília no início da tarde desta segunda-feira, dia 7 de março de 2016. De acordo com as informações do site www.avherald.com, houve um problema na decolagem da aeronave em Caracas na Venezuela, provavelmente o choque de um pássaro com os slats de uma das asas da aeronave, que não foi percebido pela tripulação.

© Paulo Martinez

© Paulo Martinez

Durante os procedimentos para pouso no aeroporto de Brasília a tripulação se deu conta do problema e declarou emergência. A tripulação foi obrigada a realizar o pouso sem o uso dos Flaps, que são superfícies móveis que aumentam a área das asas e conferem maior sustentação e arrasto durante o pouso, permitindo que a aeronave reduza a sua velocidade de aproximação, evitando o stall. Com isso a aeronave pode tocar o solo na velocidade mais baixa possível para se obter a melhor performance de frenagem no solo

Devido a impossibilidade do uso deste dispositivo, aeronave efetuou o pouso com velocidade superior à desejada e, devido a necessidade de frenagem mais forte, alguns dos pneus do trem de pouso acabaram esvaziando, não sendo possível o taxiamento até a posição designada por meios próprios. Com isso, a operação na pista 11L ficou impraticável por mais de duas horas, até que fossem completados os procedimentos de retirada da carga, esvaziamento dos tanques de combustível e posterior reboque.

© Paulo Martinez

© Paulo Martinez

A Inframerica, consórcio que administra o aeroporto, informou que o grupamento de bombeiros do terminal ficou de prontidão no momento da aterrisagem, entretanto não foi necessária sua atuação. A aeronave deve passar por reparos no aeroporto JK antes do seu retorno à Venezuela e encontra-se estacionada na posição 70.

(73)